Ele começou como pegador de bola e hoje é fundador de projeto social e líder comunitário.

Conheça a história do Rogério Da Hora.


Vindo da Bahia com sua mãe e mais 10 irmãos em busca de uma vida melhor, Rogério, hoje com 34 anos, começou a trabalhar com tênis aos 9, como pegador de bola. Aos 14 anos virou rebatedor de bola – que auxilia o professor rebatendo bola com os alunos – e aos 17 anos já dava suas próprias aulas no Espaço Esportivo e Cultural Bom&fBovespa em Paraisópolis, comunidade onde mora desde que chegou à São Paulo.


Com o fechamento do espaço em 2016, Da Hora queria continuar dando aula para a molecada. Surgiu então seu projeto social “Tênis na Rua Paraisópolis” para atender as crianças da região.

"As crianças me encontravam na rua e perguntavam das aulas, que estavam com saudade e queriam jogar. Eu precisava fazer alguma coisa para continuar com a atividade, o esporte e o lazer são muito importantes para o crescimento dessas crianças. Foi quando fundei o projeto social que atua até hoje e só cresce.” comenta o professor.

Como o nome já diz, o esporte é praticado na rua. O professor fecha a rua para carros, monta as redes, distribui os materiais e faz a alegria da criançada.

Conta ainda com parcerias para levar outras experiências para os moradores, como brinquedos infláveis e distribuição de brindes.


Contato é tudo nessa vida!


Atuando no tênis desde muito novo, conheceu diversas pessoas. Algumas delas lhe deram oportunidades na vida, como por exemplo, fazer uma faculdade de educação física. Rogério é formado pelo Centro Universitário Ítalo Brasileiro desde 2013. Eloy de Souza, diretor técnico do Cades, conhece Rogério desde quando era seu pegador de bola e lhe ofereceu oportunidades profissionais, inclusive o apresentando ao Cades em 2018, quando virou nosso professor. “Conheci o Rogério quando ele e seu irmão Dudu, recém chegados da Bahia, começaram a pegar bolas na Academia que eu era diretor. Tenho muito orgulho de tê-lo como meu amigo, amigo da minha família, bem como meu companheiro de trabalho. Além disso tudo é um líder comunitário, sempre carinhoso e pensando no bem dos outros, além de lutar pelos mais necessitados.” declara Eloy.


Empreendedorismo na veia!


No ano passado, Da Hora encontrou uma quadra abandonada em Paraisópolis e não teve dúvida: iria angariar fundos para revitalizá-la, transformá-la no Espaço Esportivo Paraisópolis e oferecer aulas para as crianças da região. Através de uma parceria, conseguiu reforma-la com alinhamento de piso, pintura e alambrado. Para viabilizar o atendimento com as aulas, ainda se faz necessária a construção de um depósito, dois banheiros e um bebedouro. Para isso, junto com o Cades, lançou um Crowdfunding (a famosa “vaquinha”) que ainda está no ar e já conseguiu R$11.000,00, que representa 50% do valor total.

Clique aqui para saber mais sobre a vaquinha.


O Espaço Esportivo Paraisópolis pretende atender mais de 600 crianças e 2.000 pessoas, sendo uma excelente opção de esporte e lazer, coisa rara na segunda maior comunidade de São Paulo.


professor em aula de tênis para crianças de paraisópolis
Atuando pelo Instituto Cades

Devido ao “Tênis na Rua Paraisópolis”, aos projetos do Cades em que ele atua (que também acontecem na região) e outras ações em Paraisópolis, Rogério é considerado um líder comunitário, é muito conhecido e respeitado na região.





Em um ano de pandemia, ele está à frente de campanhas solidárias na entrega de cestas básicas e já ajudou mais de mil famílias.


É muito importante ter um membro do Cades como o Rogério. Além de nos mostrar, diariamente, como se trabalha para uma comunidade, ele é um exemplo de solidariedade e empreendedorismo. Isso engaja toda a equipe." declara Ricardo Amaro, fundador do Instituto Cades.

Há três anos atuando no Instituto, Rogério conquistou todos rapidamente e é muito querido por toda a equipe. Não há dúvida de que sua história é um exemplo para os alunos e para todos aqueles que cruzam seu caminho.


Siga
  • Facebook Basic Square
Teste