Que tal um bate-bola sobre esporte e crianças?


Até que ponto o esporte influencia o desenvolvimento cognitivo de nossos pequenos, e qual a importância para o seu desenvolvimento global?

Sejam vocês educadores, pais ou avós, todos temos muito a contribuir com as nossas experiências. Enquanto psicopedagoga e professora de Educação infantil, trarei minhas experiências do chão da escola, lugar onde passei boa parte de minha vida!

Em tempos digitais, é comum vermos as crianças passarem horas praticando esportes somente com os dedos! Isso mesmo, parece engraçado, mas é uma realidade que não julgo melhor ou pior do que a infância de anos atrás, mas que necessita de atenção e certamente vale alguns “sets” de discussão para buscarmos meios de usar isso a favor do desenvolvimento. Neste canal teremos espaço para refletir sobre a educação global de nossos pequenos cidadãos, influenciadas pelas atividades esportivas, mas em meio a era digital. Nós do |Instituto CADES, acreditamos que a Educação é o único caminho para a evolução e encontramos nas atividades físicas, um meio de promover a cidadania , sobretudo integrando as práticas esportivas no currículo das escolas de forma a contribuir solidamente com o desenvolvimento infantil de forma interdisciplinar.

Várias pesquisas evidenciam que a prática de atividades físicas têm fundamental importância no desenvolvimento cognitivo das crianças entre 6 e 12 anos, inclusive mais cedo , na fase pré-operatória, que antecede os 6 anos, momento que a criança tem a capacidade de substituir um objeto ou acontecimento por uma representação, segundo Piaget, isso se deve a capacidade simbólica adquirida nessa fase que deve ser estimulada para o próximo período das operações concretas.

Uma pesquisa recente, citada nas referências, descreve que 20 minutos de atividade físico aeróbica, em intensidade moderada, é o mais efetivo "saque" de liberação do Fator Neurotrófico, um derivado do cérebro que tem papel de formação dos neurônios e das sinapses. Nosso cérebro está em constante construção, a cada nova aprendizagem, novos circuitos neurais vão sendo ativados e novas sinapses vão se formando como ramificações crescendo. Na primeira infância, esse processo é mais intenso, o cérebro apresenta maior plasticidade, é um período de formação arquitetônica, as sinapses vão modificando a organização estrutural e funcional de acordo com as experiências vindas dos estímulos ambientais. Essas "ramificações" vão moldando a sua estrutura, inclusive passando por funções de "poda" (Apoptose) das sinapses que forem menos desenvolvidas pelos estímulos externos.

Com essas considerações, podemos concluir que, do ponto de vista biológico, a infância é o momento mais fértil para formação das redes sinápticas e os estímulos externos ( atividades físicas, jogos e brincadeiras) promovem o fortalecimento dessa rede, facilitando a aprendizagem. Pra finalizar nosso bate-pronto hoje, pudemos observar à luz de estudos científicos que as atividades físicas têm uma relação estreita com a construção da inteligência, nas bases teóricas, Piaget (apud ARAÚJO, 1992), refere que essas atividades também têm um papel fundamental para além do desenvolvimento da cognição, pois promove o desenvolvimento das redes neurais, possibilita a consciência corporal, espacial e temporal, e especialmente estimula a transição do comportamento de autossatisfação rumo a socialização, portanto trata-se de uma estratégia facilitadora do desenvolvimento biopsicossocial do ser humano, com a excelência de falar a linguagem lúdica das crianças!

Até o próximo game!

REFERÊNCIAS

BRAIAN AND BRAWN: Complex Motor Activities to Maximizer Cognitive Enhancement . Davis Moreau- Education Psychology Rev (2015)27:475-4820

SOUZA,Diane Silva De- RICOBONI, Henry Marcos Gomes IX Congresso Nacional de Educação - EDUCARE – III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagógico PAC PR

Siga
  • Facebook Basic Square